top of page

NEUROMARKETING

As primeiras investigações sobre o funcionamento do cérebro humano quando exposto a determinados estímulos surgiram em 1980. David Lewis foi o primeiro psicólogo a reconhecer a importância de estudar as atividades do cérebro para entender melhor o comportamento dos consumidores.


O termo neuromarketing é uma junção de duas palavras: neurologia e marketing, foi introduzido em 2002, atribuído por Ale Smidts, professor de marketing na Erasmus University, com o objetivo de compreender a influência neurológica das ações de marketing no comportamento do consumidor. Porém a aplicação direcionada ao Marketing foi sugerida por Gerald Zaltman, médico e pesquisador da Universidade de Havard. As pesquisas de neuromarketing envolvem muitas técnicas para monitorar as reações cerebrais diante de estímulos diferentes como uma imagem ou um cheiro de uma determinada marca.

Existem várias metodologias utilizadas para o estudo da atividade do cérebro, o neuromarketing utiliza recursos como por exemplo:

EEG – Eletroencefalografia: estudo do registro gráfico das correntes elétricas produzidas no encéfalo (centro do sistema nervoso);

IRMf – Ressonância magnética funcional: medição da quantidade de sangue oxigenado no cérebro;

IRM de difusão - imagem de difusão por ressonância magnética.

Imagem espetroscópica infravermelha - é uma técnica rápida e confiável para medidas, controle de qualidade e análises dinâmica.

Durante as pesquisas observa-se as ondas cerebrais, frequência cardíaca, movimento dos olhos, entre outros.

A partir dos resultados é possível compreender os fatores que podem influenciar o comportamento das pessoas.

Onde o neuromarketing pode ser aplicado?

Você já deve ter sido exposto a informações que mudaram opiniões e comportamentos. As empresas têm ciência disso, elas podem usar o neuromarketing para conduzir pesquisas sobre como o sistema neurológico do consumidor pode responder a campanhas de marketing ou aplicar essas informações baseadas em evidências de todos os ramos de pesquisa relevantes para o processo de decisão de compra.

Vamos citar algumas áreas onde é mais utilizado e seus benefícios.

Branding

O branding , de maneira resumida, é o processo de criação de uma marca única para um produto ou serviço na mente dos consumidores, com o objetivo de estabelecer uma posição significativa e diferenciada no mercado. Esta posição é utilizada tanto para atrair como manter clientes fiéis e o neuromarketing fornece técnicas significativas para medir essas associações de marca.

Design de produtos e inovação

O neuromarketing entra em jogo para medir as respostas dos consumidores a novas ideias de produtos ou versões alternativas de design de produtos e de embalagens.

Publicidade Efetiva

Várias campanhas já nos impactaram de forma inconsciente, mesmo que você considere que conhece profundamente as motivações de sua persona, o neuromarketing ajuda a esclarecer como algumas campanhas deixam uma boa impressão e outras não. Mesmo que você considere que conhece profundamente as motivações de sua persona.

Entretenimento

Entretenimentos criam vínculos e experiências em nossas mentes que influenciam nossas atitudes, preferências e ações. O neuromarketing ilustra o que acontece quando o entretenimento nos transfere para um mundo imaginário.

Aprimora Experiências

Hoje passamos grande parte do dia conectados e o neuromarketing usa isso a seu favor. Através do mapeamento das ações do usuário na internet , otimiza a experiência e ajuda a jornada de compra do seu público ser muito mais assertiva.

Exemplo Prático do Neuromarketing

As vantagens vão desde satisfação das necessidades do cliente, redução de custos em campanhas e produtos/serviços até vantagem competitiva no mercado.


Fleischmann

A marca também soube aproveitar muito bem a percepção sensorial do consumidor através desse anúncio interativo. Desenvolvido pela agência Staff Brasil, ao acessar a página do anúncio e passar o dedo na tela, traz a sensação de que passou o dedo na cobertura de chocolate. Uma ótima sacada, olha só:




Muito interessante, não é mesmo?

Agora que entendemos melhor o que é o neuromarketing, aplicações e alguns exemplos, precisamos entender o consumidor.

Se você quer despertar emoções e lembranças, encantá-lo e conquistá-lo, você precisa conhecê-lo melhor. Pesquisas sobre o comportamento do consumidor e seus hábitos de consumo são fundamentais para que você acerte sua estratégia.

Tanto a pesquisa tradicional quanto a neuromarketing podem nos fornecer informações valiosas, sobre como os seres humanos processam informações e tomam decisões, consciente e inconscientemente .

E aí, tirou suas dúvidas sobre o tema? Gostaria de saber um pouco mais? Fique ligado no nosso blog e nos diga nos comentários se já aplicou o neuromarketing na sua empresa. Até mais ;)

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page